A minha gratidão ofereço em biscoitos.

21 de nov de 2010


































































































(Em inglês)


Tenho um agradecimento a fazer, e o jeito que funciona melhor pra mim é preparar uma 
doçurinha.
Escolhi essa receita porque acho que tem um tom sofisticado, e como o agradecimento é grande, fiz também cookies de chocolate e castanhas que adaptei da Patrícia.
Em português, os biscoitos de alecrim recheados com geléia de damasco ficam assim:




Ingredientes:
1 3/4 xícara de farinha branca
1/4 xícara de fubá mimoso
1/3 xícara de açúcar
½ xícara (115g) de manteiga a temperatura ambiente, meio mole
2 colheres de sopa de alecrim fresco ou 2 colheres de chá de alecrim seco
3 colheres de sopa de leite
Geléia de damasco o quanto baste

Modo de preparo
Primeiro de tudo, precisa lavar uma bancada/pia/balcão, que é o lugar onde depois a gente abre a massa. Das vezes que esqueci fiquei muito irritada de ter que parar o processo todo pra lavar a pia.
Ok, feito isso, bati no liquidificador a farinha, o fubá e o alecrim porque achei que o alecrim tinha que ser hiper pequenininho e eu não ia conseguir isso com uma faca.
Depois, já numa tigela, juntei a manteiga e fui misturando até formar uma farofinha.
Acrescentei o leite, dei uma misturada com um garfo e formei uma bola.
Sovei, sovei, sovei... por uns 5 minutos direto. A massa ainda tava meio farelenta demais.
Se isso acontecer, não é motivo pra desespero. Acrescentei mais uma colher DE CHÁ de leite e continuei sovando. A massa foi ficando mais lisa, mas achei que ainda não era o bastante.
Coloquei outra colher de chá, mexi mais, e aí ficou no ponto (no ponto = não fica quebradiça demais, e não fica grudenta também).
É importante fazer isso bem aos poucos mesmo, porque se colocar líquido demais desanda tudo. Juro.
De toda forma, quando estiver no ponto, divido a massa em duas partes iguais e abro uma delas por vez com um rolo até ficar com +- 0,5cm de espessura. A Glory tem um post detalhado sobre essa parte do processo.

O mais importante da coisa toda é abrir a massa entre duas folhas de papel manteiga, e manter a espessura uniforme, pros biscoitos assarem por igual. A vantagem do papel manteiga é que a massa fica sem grudar no rolo e você não usa farinha pra isso (porque enfarinhar ao abrir a massa faz que ela fique cada vez mais pesada).
Aí com os cortadores vou fazendo cada biscoito, depois com a ajuda de uma colher pego cada um e vou transportando pra forma forrada com papel manteiga.
Assa por uns 10 minutos. 


É difícil saber o ponto do biscoito só de olhar, porque geralmente esse tipo de massa não fica corada quando ta pronta. O lance é tirar um do forno e verificar se a borda já está firme e se embaixo dele está corado.
Quando tirar do forno, tem que deixar esfriar num lugar ventilado, de preferência em cima de uma gradinha (cuidado pra não quebrar os biscoitos quando for tirar da forma).
Depois que estiverem completamente frios, é só passar geléia em um biscoito e cobrir com outros.
Ora, aí tens biscoitos recheados!
A receita original diz que rende 20, mas eu consegui 23 (contando já recheados).
Pode guardar em recipiente hermético, em camadas separadas por papel manteiga, à temperatura ambiente por até 3 dias; ou congelar os biscoitos sem a geléia por até três meses.
Considerando que achei esse post enorme, vou colocar os cookies num outro separado.

0 comentários:

Postar um comentário