Kanelbullar - pão doce de canela, a versão sueca.

28 de jul de 2011




(In English)


É fato que existem muitas versões de pão de canela.
Porque eu fui começar justo com a sueca, vocês podem perguntar.
Bom, porque sim. Acho muito bonitos os pães e bolos suecos que
vejo por aí pela internet. E também acho que a Suécia deve ser o
paraíso do brechó. Aposto que se eu fosse visitar ia achar tudo lindo!


Fora isso, a receita que escolhi prometia ser leve e não ser doce demais.
E é verdade. À ela!
Kanelbullar - Pão doce de canela


Massa
4 colheres de sopa rasas (50g) de manteiga
1 xícara de leite
2 colheres de chá generosas de fermento biológico seco
3/4 colher de chá de sal
1/3 xícara de açúcar
1/2 colher de chá de cardamomo moído (moí na hora 4 cápsulas)
2 2/3 xícara de farinha de trigo


Recheio
4 colheres de sopa rasas (50g) de manteiga amolecida
1/4 xícara de açúcar
1 colher de chá generosa de canela em pó


Para finalizar
1 ovo
Açúcar pérola* quanto baste


Aqueci o leite e a manteiga em uma panelinha até ficar morno, e misturei em uma tigela
com o fermento e o açúcar para deixar fermentar por 5 minutos.
Enquanto isso, moí o cardamomo com meu pilãozinho de louça. Na verdade, acho que pra dar meia colher de chá deveria ter usado mais duas cápsulas, mas preferi pegar leve, já que é uma especiaria um pouco incomum pra gente, e o sabor é forte. Vai que eu faço o pão doce e o pessoal não gosta, né?
Enfim, depois de moer bem eu peneirei o cardamomo pra não deixar pedaços grandes no meio da massa.
Acrescentei ele junto com o sal, e fui adicionando devagar a farinha, mexendo com uma colher de pau.
Um pouquinho da farinha reservei pra usar depois, na hora de abrir a massa.
Sovei a massa (que fica bem macia, mas não grudenta) dentro da tigela mesmo, e cobri com um plástico e um pano de prato, deixando descansar em local aquecido (na minha cozinha fria, loca aquecido = sobre uma bolsa de água quente) por 30 ou 40 minutos, até dobrar de volume.


Sovei novamente sobre o balcão, e abri a massa com um rolo até que ela ficasse com mais ou menos 20x40cm. 
Próximo passo: Misturei os ingredientes do recheio em uma tigelinha e espalhei sobre a massa. Depois dobrei a massa ao meio, horizontalmente. 
Cortei fatias de +- 3cm de largura, no sentido da altura, usando uma faca afiada.
Em seguida fiz um corte no meio de cada fatia, deixando +-1,5cm sem cortar.
Agora, para moldar os nós é preciso pegar uma fatia de massa por vez, torcer cada "perna" da fatia separadamente, depois sobrepor as pontas. Com uma mão a pessoa deve pegar essas duas pontas juntas e puxá-las em direção à parte da fatia que não foi cortada.
É um tanto quanto complicado explicar tudo isso em palavras, então aí estão as fotos do passo a passo. Se clicar a imagem amplia.




Na receita original diz pra assar a 250oC por 8-10 minutos. Eu recomendo baixar um pouco a temperatura e aumentar o tempo, porque os meus pães ficaram com a parte de baixo queimada.
Fora isso, ótimos. Muito macios e realmente não são doces demais.
Rendeu 11 pãezinhos.


* A julgar pelo que li nos comentários do post onde tinha essa receita originalmente, o tal açúcar pérola só existe na Suécia e na Bélgica. Ele é usado só em confeitaria, e não derrete quando vai ao forno, deixando as "pérolas" (cristais grandes de açúcar) intactas pra dar um efeito pontual de doçura, além do efeito decorativo. Eeenfim. Eu usei açúcar demerara no lugar e deu tudo certo.

2 comentários:

flanzie disse...

É a coisa mais linda que eu já vi.

Juliana Valentini disse...

Eu também achei lindo de morrer. E já tô salivando. E acho também que você tá ficando boa em escolher receita, em escrever post explicando receita, em fazer fotos da receita...
Tá uma delícia vir aqui!
Beijo,
Juliana.
PS: já assistiu Julie & Julia?

Postar um comentário