Ninho de abelha.

28 de nov de 2011





(In English)


Essa é uma receita de família, que a gente nunca soube muito bem de onde veio.
Não sei se foi inteiramente idéia da minha avó, ou se ela viu algo parecido por aí e resolveu fazer uma versão.
O que importa é que desde que me lembro de existir, ninho é um doce que tem no natal, e que ela preparava também em algumas tardes aleatórias, como um quitute.
Faz alguns anos que minha avó faleceu, e desde então não tínhamos voltado a cozinhar as coisas que só ela fazia. Mas antes de eu vir pra SC esse ano (iééés, já to aqui!) meu irmão escreveu pedindo se eu faria o ninho, porque tava com saudade.
Tentei e deu certo, então aqui vai a receita caso alguém queira incluir na sua rotina de natal daqui pra frente. Esse ninho-teste foi devorado como lanche da tarde ainda quentinho, e a não ser pela cobertura dizem que ficou igual ao original.







Para a massa:
1 2/3 xícara de farinha branca
3/4 colher de chá de sal
1 colher de sopa de açúcar
1 1/8 colher de chá de fermento biológico
2/3 de xícara de água à temperatura ambiente 
1 1/2 colher de sopa de manteiga amolecida
(Medida da xícara: 240ml)

Para o recheio:
5 colheres de sopa de manteiga amolecida
3 colheres de sopa de água
5 colheres de sopa de açúcar cristal
3/4 xícara de amêndoas/ passas claras e escuras/ sementes de girassol picados

Misturei todos os ingredientes da massa em uma tigela, usando uma colher de pau, até que a massa começasse a se formar. Deixei a colher de lado e comecei a sovar com as mãos para que a massa ficasse uniforme e brilhante, bem macia, sem grudar nas mãos.
Moldei uma bola e untei com um tiquinho de óleo. Cobri a tigela com um plástico e deixei crescer por 1 hora, até quase dobrar de volume.
Sovei de novo, delicadamente, e abri a massa em forma de um retângulo longo, usando um rolo. A massa deve ficar com a espessura mais fina possível sem rasgar (digamos, uns 3 ou 4mm).

Preparei o recheio: bati com um garfo a manteiga e a água até aumentar um pouco de volume, acrescentei o açúcar e bati com o garfo um pouco mais até formar um creme fofinho.
Espalhei essa mistura por todo o retângulo de massa, reservando 2 colheres de sopa da mistura pra depois.
Espalhei todas as frutas e amêndoas pela superfície da massa e a enrolei a partir do lado mais comprido do retângulo, como dá pra ver na foto acima. Cortei em pedaços de uns 6 ou 7cm e fui organizando em uma forma redonda de 25cm já untada, com o lado cortado para cima. A minha avó às vezes usava forma com furo no meio também, acho que porque assim fica parecendo uma guirlanda...
Terminado esse processo, cobri a forma e deixei crescer novamente por 1 hora (ou até que dobrem de volume). Pincelei aquele restinho de manteiga + açúcar sobre os pães e assei em forno pre-aquecido a 180oC por mais ou menos 30 minutos: até que ficassem perfumados e morenos.

Rende 15 pãezinhos individuais.

4 comentários:

angela disse...

Como você faz a semente de girassol? é a para pássaros? quando é época de girassol, torro as sementes mas sempre fico na dúvida como me comportar com as casquinhas..

Flora. disse...

Oi Angela!
Eu compro a semente pronta pra usar, já descascada, em lojas de produtos naturais. Também da pra comprar em mercados públicos, essas coisas...
Imagino que dê pra tostar em casa, como você disse, numa boa. Mas realmente teria que tirar as casquinhas, o que dá um trabalhão!

Anônimo disse...

Fiquei louca para fazer!
Vou testar essa semana e se meu marido gostar repito no Natal!
Obrigada por compartilhar a receita
Bj
Thatiana Bandeira

Flora. disse...

Aposto que seu marido vai gostar sim, Thatiana :)
E na época de fim de ano, que a gente começa a receber mais gente em casa ou a ir mais na casa das pessoas, o ninho dá um lanche bacana pra dividir com a família.

Postar um comentário